Alckmin e Dilma: Nós te desafiamos. Não a corrupção

EXPOSED :Maus tratos no CCZ da cidade Alumínio-SP
10 de janeiro de 2014
Diálogo: Presidenta Dilma, haverá Copa sim!
12 de janeiro de 2014

Alckmin e Dilma: Nós te desafiamos. Não a corrupção

Quando dizemos que tanto faz ser PSDB ou PT  a maioria das pessoas não acreditam. Vocês acham que se o PSDB estivesse no governo, as coisas seriam diferentes?

A repressão seria menor?

Seria ingenuidade ou burrice acreditar, que algum desses políticos estão realmente se importando com os brasileiros. No dia 07 de janeiro Geraldo Alckmin (PSDB) criou o 1º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep), da Polícia Militar (PM). Inclusive, já foi publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo .O grupamento, que tem entre suas atribuições “ações de controle de distúrbios civis e de antiterrorismo”, contará com 413 policiais das forças táticas da PM das cidades do interior paulista Campinas, Valinhos, Paulínia, Indaiatuba e Vinhedo treinados em ações de policiamento de choque. Agora pare e pense. Terrorismo? Ou é uma camuflagem, uma brecha para que tratamentos de extrema violência sejam aplicados a manifestantes? Se você assistiu alguma das transmissões das “mídias ninjas” (repórteres , jornalistas e fotógrafos que fazem a cobertura das manifestações em todo o Brasil, uma vez que as emissoras de tv não as faz), muitos policiais tem usado o termo terroristas para os manifestantes. Eles alegam que o uso de rojões e coquetéis molotov, bem como queima de pneus são atos de terrorismo. Conseguiu entender agora, por que a tropa do Alckmin é anti-terrorista?

Curta Anonymous no Facebook: AnonymousBrasil

Hoje, os batalhões de Choque e da Polícia Montada já têm como atribuição o controle de distúrbios civis e até mesmo ações de contra guerrilha urbana, mas o combate ao terrorismo é novidade.

As pessoas que lutam por um país melhor, merecem ser tratadas com mais violência. Uma coisa também é fato: parece que as autoridades enfim, passaram a ter medo ou pelo menos vão tentar se proteger do povo que está se rebelando. Se essa história de que os protestos realmente estavam acabados fosse verdade, você acha que tanto o Alckmin, quanto a Dilma estariam se armando “até os dentes” contra os manifestantes? Chegou a hora meu povo, dia 25 de janeiro será o primeiro ato. Já conseguimos aumentar o medo deles, agora vamos superar as expectativas!

Segundo informação do site da Secretaria da Segurança Pública (SSP), o objetivo é combater o crime de maneira mais ostensiva na região. Os policiais estarão sob ordens do Comando de Policiamento do Interior 2, responsável pela região de Campinas. Eles contarão com 52 veículos picapes Hilux. A secretaria não respondeu aos questionamentos da RBA quanto à tipificação de terrorismo e se o grupamento teria atuação restrita à região de Campinas.

No fim de novembro passado, o coronel Benedito Roberto Meira, comandante da PM em São Paulo, informou que a instituição iria criar um efetivo para atuar em manifestações de rua, com 120 homens jovens, com mais de 1,80 metro de altura e treinados em artes marciais (ou seja, pra bater bastante no povo). Esse pessoal não tem vergonha, não?
A corporação não esclarece se esse grupo faz parte do Baep.

O governo estadual, bem como o federal (por isso, endereçamos essa matéria a Dilma Rousseff também), está se preparando para a provável aprovação do projeto de lei em trâmite no Congresso Nacional que tipifica o crime de terrorismo. A Força Nacional já tem 10 mil homens preparados para conter ações durante a Copa. Agora, os estados estão no mesmo caminho. O objetivo é o mesmo: reprimir a organização social.

O projeto tipifica como terrorismo provocar terror ou pânico generalizado, atentando contra a vida, a integridade física ou a saúde, ou ainda privando alguém de liberdade.

Para começar então, vamos enquadrar o Alckmin, a Dilma e toda a corja na lei, porque eles provocam terror, pânico generalizado, atentando contra a vida (no SUS não é atentado, é crime de assassinato com intenção de matar mesmo), a integridade física ou a saúde, ou ainda privando alguém de liberdade (que ironia essa parte da liberdade, e quando o manifestantes são levados para presídios?)

De acordo com texto, o terrorismo será crime inafiançável, com penas de 15 a 30 anos de prisão, cumpridas em regime fechado. As penas sobem para 24 a 30 anos de cadeia se houver mortos em consequência do crime, ou em um terço se praticadas contra presidente da República ou vice, presidentes da Câmara, do Senado e do STF, assim como chefes de Estado estrangeiros e diplomatas.

As punições também são ampliadas em um terço se o crime for praticado com uso de explosivo ou armas químicas, em locais com grande aglomeração de pessoas ou no transporte coletivo. Aqui se enquadra o Black Bloc por uso dos Molotov’s.

Os soldados da Força Nacional também foram preparados para ações de policiamento de choque e o efetivo é suficiente para agir nas 12 cidades-sede da Copa do Mundo ao mesmo tempo, em apoio às policiais locais. O grupo é formado por policiais militares, civis, peritos e bombeiros dos 27 estados, que se candidatam voluntariamente.

O governo do Rio de Janeiro também criou um grupamento específico para atuar em manifestações. O batalhão tem 500 policiais com treinamento para atuar no controle em distúrbios sociais e negociação com manifestantes. A unidade foi criada em outubro e já atuou em Copacabana, durante o último revéillon carioca.

Você ficou com medo?

Um recado para você Alckmin e Dilma: Nós não iremos recuar, nós não iremos desistir. Essa tropa ainda é pequena para o número de pessoas roubadas, que passam fome, sofrem com violência e descaso em todo o país. Vocês precisarão de muito mais do que isso. Ah, e outra coisa, confiram a nossa lista de manifestações em todo Brasil. Só pra vocês organizarem suas marionetes contra o povo, nós não estamos com medo! Vocês ainda não sabem com quem estão lidando?
Permitam-nos apresentar:
Nós somos Anonymous;
Nós somos muitos;
Não esquecemos;
Não perdoamos;
Nos aguardem.