Alunos da USP Leste também ocupam diretoria da unidade

nasa
Site da Nasa está fora do ar
3 de outubro de 2013
Adobe
Ataque à Adobe rouba dados de quase 3 milhões de clientes
4 de outubro de 2013

Alunos da USP Leste também ocupam diretoria da unidade

aa605g2o0y3lagdq7q79xi5at

Os alunos da Universidade de São Paulo (USP) Leste ocuparam, nesta quarta-feira (2), a diretoria da unidade. A ação foi uma forma de apoio à ocupação da reitoria da USP na Cidade Universitária , na zona oeste de São Paulo, e à greve geral por eleições diretas para reitor. Além disso, os alunos também pedem o afastamento do vice-diretor e diretor interino da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH), Edson Leite, e a regularização das questões ambientais.

De acordo com nota divulgada no site do Diretório Central dos Estudantes Livre (DCE) da USP, nesta quinta-feira (3), acontecerá uma nova assembleia geral, que deve definir a greve. Eles estão na reitoria da Cidade Universitária desde o fim da tarde de terça-feira (1º).

[related_posts]

aa605g2o0y3lagdq7q79xi5at

Desde 10 de setembro, alunos, professores e funcionários estão em greve na unidade pedindo que a universidade cumpra as exigências feitas pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) para despoluição do solo contaminado da USP Leste e pelo afastamento de Leite.

Nesta quarta, por volta do meio dia, durante uma reunião entre o diretor interino e os coordenadores dos programas de pós-graduação, representantes dos alunos pediram novamente a renúncia de Leite, mas, segundo eles, o diretor interino se recusou a sair “alegando que ‘não seria elegante’”

Os alunos aguardam uma reunião entre o reitor da USP e o diretor interino da USP Leste na quinta-feira, para decidir se vão desocupar o prédio. Segundo a assessoria da USP Leste, nenhum membro da administração da unidade irá se pronunciar. Disse também que, até as 18h desta quarta os alunos ocupavam o corredor do edifício da direção, mas não entraram em nenhuma sala e não houve qualquer tipo de depredação.

Assembleias

Até as 20h de quarta-feira ocorriam assembleias em todas as unidades da USP para que cada curso votasse se iria aderir ou não à greve geral. O prédio da antiga reitoria foi ocupado durante a tarde de terça depois de o Conselho Universitário, máxima instância da instituição, não atender às mudanças pedidas pelo corpo discente para a escolha do reitor, como a eleição direta.

Além da ocupação da reitoria e da greve, estavam nas pautas das assembleias de cada unidade o pedido para anular as decisões do Conselho Universitário, um plebiscito para escolha da forma de eleição de reitor, a realização de nova reunião do conselho e o adiamento das eleições para reitor. O Diretório Central Acadêmico (DCE) da USP convocou ainda, para as 18h de quinta-feira uma assembleia geral para decidir sobre os rumos da greve e da ocupação da reitoria, iniciadas na terça-feira.

Nesta quarta o departamento permanecia ocupado. Os alunos dormiam nos corredores e no sofá da recepção da reitoria. Segundo os estudantes, o clima estava calmo e não houve aproximação da polícia ou da guarda universitária.