Ampliação do porto Mariel rendera 80 mi em exportações diretas para 400 empresas nacionais

Adolfo-Pérez-Esquivel1
Nobel da Paz critica influência dos EUA nos protestos da Venezuela
5 de março de 2014
jairogianotto_150610-624x436
Ex-prefeito de Maringá Jairo Gianoto condenado a devolver R$ 500 milhões
7 de março de 2014

Ampliação do porto Mariel rendera 80 mi em exportações diretas para 400 empresas nacionais

portomariel

A obra do porto de mariel custou cerca de US$ 900 milhões, dos quais 76% (US$ 682,15 milhões) foram financiados pelo governo brasileiro. os restantes 24% (US$ 217,85 milhões) foram aportados pelo governo de Cuba.

Como é praxe em operações internacionais dessa natureza, uma das cláusulas do contrato de crédito aberto pelo BNDES ao governo de Cuba previa que 76% de todos os produtos e serviços consumidos pela obra financiada tinham que ser adquiridos de empresas brasileiras, salvo nos óbvios casos em que o bem ou serviço não fosse produzido no brasil, foi o que ocorreu, por exemplo, com os quatro guindastes gigantes, os chamados portainers, cada um com 75 metros de altura, instalados em Mariel como o brasil não fabrica guindastes desse porte, eles foram importados da China.

Eram brasileiras as primeiras escavadeiras a chegarem a Mariel, no final de junho de 2010, assim como eram brasileiros dois terços de todos os equipamentos, máquinas, caminhões fora-de-estrada, geradores de energia, tubos metálicos para a cravação de pilotis sob a água, cabos elétricos, computadores e torres de iluminação, além de consultorias fornecidas por empresas de planejamento e engenharia.

Os benefícios obtidos pelo brasil são indiscutíveis: entre 2010 e 2013, o país exportou para cuba cerca de US$ 250 milhões em bens e serviços produzidos por mais de quatrocentas empresas nacionais.