Criador do Megaupload se diz inocente e entra com pedido de fiança

Anonymous roubou código-fonte de programas de segurança da Symantec
27 de janeiro de 2012
Fundador do Megaupload tem pedido de liberdade negado na Nova Zelândia
27 de janeiro de 2012

Criador do Megaupload se diz inocente e entra com pedido de fiança

O caso do Megaupload já teve a sua primeira audiência na Nova Zelândia. Nela, o advogado do fundador do site pediu fiança, argumentando que ele não iria sair do país e afirmou que ele era inocente: “Sr. Dotcom enfaticamente nega qualquer má conduta criminosa ou delito e nega a existência de uma mega conspiração”, afirmou o advogado.

Criador do Megaupload afirma ser inocente e entra com pedido de fiança (Foto: Divulgação)Criador do Megaupload afirma ser inocente de todas as acusações (Foto: Divulgação)

Durante o julgamento, a defesa e o estado também discutiram sobre as circunstâncias de como Dotcom, criador do Megaupload, foi detido após uma batida policial em sua mansão. Aparentemente, quando a polícia chegou, Dotcom acionou várias fechaduras eletrônicas e se escondeu em uma sala de segurança máxima, forçando a polícia a derrubar os portões para chegar até ele.

Além disso, quando foi encontrado ele estava perto de uma arma, embora não a tenha usado. Em sua defesa, Dotcom afirma que a arma estava carregada com uma bala de borracha, mesmo assim o juiz observou que ele e o guarda costas não tinham uma licença para portar a arma.

Apesar das explicações, o fato de ter bloqueado as passagens da mansão e se escondido em um quarto seguro, ao lado de qualquer tipo de arma, não parece ajudar o criador do Megaupload no julgamento.

Nenhuma decisão foi feita sobre a fiança de Dotcom, nem mesmo se ele vai ser extraditado para os EUA. Seu advogado deixou claro que não recuaria em qualquer ponto. “Isto não é um caso em que não haverá qualquer concessão pelo Sr. Dotcom”, disse.

As estimativas do FBI é que Dotcom tenha feito em torno de US$ 115.000 (cerca de R$ 202.5), desde 2010, quando lançou o Megaupload. A lista de bens apreendidos, incluem aproximadamente 20 carros de luxo, um deles um Cadillac rosa, obras de arte e 10 milhões de dólares (17 milhões de reais) da Nova Zelândia investidos em empresas de financiamento local.