Justiça suspende prisão de diretor do Google

Decretada a prisão do diretor-geral do Google no Brasil
17 de setembro de 2012
Grupo hacker chinês explora falha sem correção no Internet Explorer
18 de setembro de 2012

Justiça suspende prisão de diretor do Google

Juiz entende que a empresa não pode ser responsabilizada por vídeo político postado no YouTube

O diretor geral do Google Brasil não vai mais ser preso. O juiz Miguel de Britto Lyra, do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, suspendeu a determinação do colega Jander Teixeira, da 17ª Zona Eleitoral de Campina Grande, segundo a qual Edmundo Luiz Pinto Balthazar tinha de ser detido por crime de desobediência.

Segundo o Portal Correio, Lyra entendeu que é errado responsabilizar Balthazar pela veiculação de um vídeo que ridiculariza o candidado a prefeito de Campina Grande Romero Rodrigues (PSDB).

O vídeo está hospedado no YouTube, que pertence ao Google, por isso Teixeira tentou incriminar o diretor da empresa. O pedido de prisão saiu na última sexta-feira, 14, sob justificativa de que o Google descumpriu ordem de tirar a produção do ar.

O diretor da gigante de buscas, então, entrou com um pedido de habeas corpus, que foi concedido por meio de liminar no sábado, 15.