Polícia usará arma de choque contra viciados em crack

“Guarani Kaiowá é o c… Meu nome agora é Enéas p…” Walter Navarro do jornal O Tempo
13 de novembro de 2012
Op. Natal
14 de novembro de 2012

Polícia usará arma de choque contra viciados em crack

As polícias do Brasil terão armas de choque e spray de pimenta para conter dependentes de crack. A distribuição desses dispositivos é uma das ações previstas no programa “Crack, é possível vencer”, do Ministério da Justiça.

A utilização de força policial, incluindo armas não letais, para o controle de dependentes é controversa.

Em São Paulo, operação iniciada em janeiro por Estado e prefeitura foi criticada por especialistas, que defendiam foco maior em saúde.

A orientação para o uso de armas de choque, chamadas de taser, é da Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública), ligada ao ministério.

Segundo nota da pasta, a intenção é que “os policiais tenham opções menos letais, principalmente para situações em que existem aglomerados de pessoas”.

A determinação foi motivada pela portaria 4.226, de 2010, do ministério e da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência. A orientação é que as armas sejam usadas só por policiais treinados.

PROGRAMA

Até agora, 12 Estados estão no programa federal, totalizando R$ 62 milhões em recursos. O Rio recebeu mais recursos: R$ 9 milhões. O próximo a aderir deve ser São Paulo.

Além de armas, o programa prevê treinamento de policiais e a compra de câmeras para monitorar cracolândias.

No Rio, serão treinados 200 policiais. Os equipamentos, 250 armas de choque e 750 sprays de pimenta, já chegaram, segundo a Secretaria de Segurança do Rio.

Em nota, a pasta disse que as armas “serão usadas apenas em caso de extrema necessidade por agentes policiais” e que não há “qualquer estratégia repressiva de tratamento de choque para usuários”.

Os 150 homens da Força Nacional que desde maio ocupam o morro do Santo Amaro, zona sul, já usam armas de choque em ações contra viciados.

Isso é um verdadeiro absurdo. Posso até dizer que é ridículo. Voltamos para a década de 50? Vamos fazer eletrochoque para o tratamento de viciados em crack?

Essa nota dizendo que as armas só serão usadas em caso de extrema necessidade é apenas um meio de ” acalmar a mídia “. A polícia já não perdoa o minimo movimento de usuários de crack, imagine agora que eles tem uma arma de choque.

Brasil acorda, vamos investir no tratamento real desses usuários. Vamos investir na raiz desse mal todo, que é a educação de qualidade  As crianças são o futuro do país. Estamos educando essas crianças? Estamos garantindo o futuro digno de nosso país?

A resposta infelizmente é não. Estamos investindo em armas de choque para serem usadas em viciados em crack…

Quem sabe essas armas também podem ajudar na contenção de manifestantes que lutam por um país melhor.