Advogada lesando aposentados – Enviado ao Listen

Apresentador de TV dá Bitcoins para colegas e é roubado ao Vivo
24 de dezembro de 2013
Loterias da caixa: dá para confiar?
24 de dezembro de 2013

Advogada lesando aposentados – Enviado ao Listen

Texto que nos foi enviado através do e-mail do listen: [email protected]

Olá, Anonymous.

Quero relatar a vocês o caso de uma nova Georgina de Freitas, que atua em nossa era. A Georgina de Freitas, junto ao juiz Nestor e um advogado, além de mais umas 20 pessoas, desviaram 1,2 bilhão de reias do INSS, estimativa do valor atualizado no ano de 2011, e como a Gerogina possui muitos imóveis no Rio de Janeiro e em outros lugares, como no RJ ocorreu a pacificação, aliado a Copa do Mundo, etc, os imóveis valorizam muito, portanto, atuamente o valor que ela desviou passa em muito do 1,2 bilhão, somente uma pequena parte dos bens deste bando foram confiscados pela justiça, esta quadrilha foi desarticulada e presa, isso ocorreu na década de 90, todavia, somente uma quantidade ínfima que não chegam nem a 100 milhões de reais foi recuperada, ela é considera a maior golpista de toda a história do INSS.

Curta Anonymous no Facebook: AnonymousBrasil

Por qual motivo contei esta história? A Contei devido o fato de haver uma advogada que atua e afana o dinheiro de idosos e outras pessoas que procuram pelo serviço dela, aposenta as pessoas como ningúem, todavia, cobra valores acima do pactuado e permitido por lei.

Explicarei, quando uma pessoa procura um advogado e este ingressa com uma lide ou demanda, ao final do processo caso ele ganhe, o INSS é obrigado a pagar os atrasos, isto é, os meses aos quais a pessoa não recebeu, estes compreendem da data que se ingressou com a ação até a data que saiu a sentença favorável, a lei permite que o advogado fique com no máximo 30% dos atrasados, como, em geral, o mínimo que o INSS terá que pagar de atrasados é R$20.000.00, o máximo que o Dr. pode ficar é com R$6.000,00, veja é um valor bem expressivo, todavia, esta doutora fica com 100% dos atrasados, ou seja, no mínimo R$20.000,00 por aposentadoria, se não bastasse, a lei permite que o advogado receba 1 ano de aposentadoria da pessoa, portanto, se a vítima se aposentou com 1 salário mínimo, é R$678,00×13(devido ao fato de aposentado receber 13º)= R$8814,00, consolidando, 1 ano de aposentadoria de alguém que se aposentou com 1 salário mínimo + 30% dos atrasados dá R$14.814,00 para o advogado, vale ressaltar, que se a pessoa se aposentou com mais de 1 salário mínimo o valor que o adv. receberá é maior, tanto 1 ano de aposentadoria quanto em relação aos atrasados, entretanto, está advogada do Paraná fica com o processo “engavetado” durante 2 às vezes 3 anos, enrolando a pessoa para contar que ela se aposentou para com isso receber mais, ela pega mais de 13 meses, chega a pegar 39 meses do valor que a pessoa se aposentou, ou seja, alguém que se aposentou com 1 salário mínimo, dá R$678,00×39=26.442,00 com + o mínimo de R$20.000, dos atrasados, que correspondem a 100% do valor, significa que ela chega a cobrar mais de R$46.442,00 + correção monetária, para aposentar 1 pessoa com benefício de 1 salário mínimo, esta cobrança é ilegal, viola a lei, além de ser imoral.

Como ela possui algo em torno de 6 mil aposentadorias protocoladas o que pode ser consultado com o nº da OAB, no site TRF(Tribunal Regional Federal) 4ª Região, a lei ninguém pode receber como aposentadoria valor de aposentadoria menor do que o salário mínimo, é fácil fazer a conta 6.000xR$46.442,00, ou seja, a atuação ilícita permitirá que ela ganhe mais de RS200.000.000,00(duzentos milhões de reais), elaborarei um dossiê sobre ela, onde pretendo, fazendo uma analogia as medidas cautelares, demonstrar o fumus bonis juris(fumação do bom direito), isto é, de que ela pratica crimes, art. 171, §3º CP(Código Penal), estelionato com causa de aumento de pena, devido ao fato do crime ser praticado em detrimento de uma autarquia federal – INSS, além de outros possíveis crimes correlacionados, todavia, que precisam ser melhor aprofundados, comumente advogados previdenciário safados, praticam algum crime de falsificação ou instruem os clientes a falsificarem/omitirem/aduterarem dados, para com isso, obter benefícios com valor maior, nesta falsificação muitas vezes contam com a ajuda por ex. de cartórarios, pois, são dotados de fé pública, a lei dá um valor maior aquilo que eles falam, aos documentos que eles alegam ser verdadeiros, com isso, eles ajudam adv. a adulterar/omitir/modificar/criar documentos falsos para lesar o INSS, se trata do CAPÍTULO III DA FALSIDADE DOCUMENTAL.

Inclusive esta advogado respondeu 1 processo no TRF 4º Região – Porto Alegre -Rs pelo crime de estelionato, com as implicações já descritas, combinado com o de falsificação de reconhecimento de firma ou letra, art. 300 CP, entretanto, em relação ao art. 300 CP o Ministério Público-Federal(MPF), cometeu um erro grotesco na denúncia, a acusou na modalidade de autoria, quanto na realidade por ela não ser dotada de fé pública, só poderia ser acusada como co-autora ou partícipe, um dos desembargadores suscitou dúvidas sobre o enquadramento correto do fato do fato narrado ao fato típico na lei; retornando, em relação a analogia com as medidas cautelares, demonstrarei no dossiê o periculum in mora(perigo da demoria), que se consubstancia no fato de que quanto mais demorar para ela e seu bando serem desarticulados, mais idoso, em sua maioria, serão lesados.

O motivo pelo qual os idosos são e continuam sendo vítimas dela, se deve ao fato de que eles não sabem sobre os valores exorbitantes e ilegais dos quais ela cobrará pelo serviço, eles pactuando no contrato um valor bem baixo, enquanto que na realidade ela os delapida, em sua maioria, estes idosos são pessoas analfabetas ou analfabetas funcional, pessoas humildes, de baixa renda e são vítima dessa inescrupulosa. E, respondeu e responde há alguns processos tanto na esfera civil quanto na penal por crimes e atos ilícitos contra o INSS e contra os clientes da advocia dela. Tentarei verificar se há algum processo administrativo na OAB.

Escrevi, já faz muito tempo, uma análise sobre a ação criminal que ela respondeu no TRF 4ºRegião, é uma análise bem pequena, cerca de 4 ou 5 págs., com explicações detalhadas para os leigos entederam pelo que ela respondeu, qual a tática que ela e os advogados que a defenderam usaram, no caso o recurso de Prescrição em Perspectiva ou Prescição virtual, etc, nós conversaremos bastante a respeito disto.