Anonymous declara guerra a Israel

ANONYMOUS IDEALIZA BOICOTE CONTRA PROJETOS ANTI-PIRATARIA
10 de fevereiro de 2012
Anonymous Derruba Cia
Anonymous derruba site da CIA nesta sexta
11 de fevereiro de 2012

Anonymous declara guerra a Israel

Em vídeo lançado na manhã desta sexta-feira, 10 de fevereiro, o grupo de hackerativistas promete “remover” o Estado de Israel… da internet

Enviado por Baby Siqueira Abrão – Correspondente no Oriente Médio

O grupo Anonymous deve entrar para a história como o primeiro a fazer uma declaração de guerra pela internet. O alvo é o governo de Israel, a quem os hackerativistas chamam de criminoso, mentiroso, oligárquico, corrupto, antidemocrático e fanático, entre outras coisas. “Há muito tempo vimos tolerando seus crimes contra a humanidade e permitindo que seus pecados fiquem impunes”, começa a declaração. “Vocês são indignos de existir em sua forma atual”, ouve-se mais adiante. “Seu império carece de legitimidade e por isso vocês precisam governar atrás de uma cortina de fraudes.”

Em nenhum momento os palestinos são mencionados. O grupo de hackerativistas considera o governo israelense responsável pela dominação de todos os seres humanos, como se pode concluir pelo teor geral da declaração e em particular pela frase “Seu domínio sobre a humanidade enfraquecerá e o ser humano estará mais próximo da liberdade”.

Há uma referência clara ao Irã, embora o nome do país não seja citado. Os Anonymous afirmam que não vão permitir o ataque do governo sionista a “um país soberano”, baseado “em uma campanha de mentiras”.

A guerra eletrônica contra Israel será realizada em três etapas. A primeira começou com o lançamento do vídeo. A segunda já foi iniciada, mas em segredo. Só será revelada mais tarde. A terceira, misteriosa, é colocada como um “presente” do grupo para os sionistas.

A declaração termina com uma promessa: “Nós não vamos parar até seu Estado policial tornar-se um Estado livre”.

A seguir, a tradução do texto do vídeo, que se segue: “Anonymous Message To The State of Israel”

http://www.youtube.com/embed/nrJ551FFWp0?rel=0

“Ao governo do Estado de Israel

Nós somos os Anonymous.

Há muito tempo vimos tolerando seus crimes contra a humanidade e permitindo que seus pecados fiquem impunes.

Por meio de mentiras nos meios de comunicação, e de corrupção política, vocês conseguiram a simpatia de muita gente. Alardeiam ser democráticos, mas na realidade isso está longe da verdade. Seu único objetivo é melhorar a vida de um grupo seleto enquanto atropelam, sem cuidado, a  liberdade das massas. 

Mas nós enxergamos o que há por detrás da propaganda que vocês fazem circular nas principais mídias e [enxergamos também o que há por detrás] das pressões que vocês operam nas instituições políticas.

Seu fanatismo sionista já deslocou e matou um grande número de pessoas. Enquanto o mundo chora, vocês riem, planejando seu próximo ataque. Tudo isso é feito sob o disfarce da paz, mas a paz vem sendo obstruída desde o início de seu regime.

Vocês rotulam de antissemitas todos aqueles que se recusam a acatar suas exigências supersticiosas. E vêm dando passos rumo a um holocausto nuclear. Vocês são indignos de existir em sua forma atual, e, portanto enfrentam a ira dos anônimos. Seu império carece de legitimidade e por isso vocês precisam governar atrás de uma cortina de fraudes. 

Nós não permitiremos que vocês ataquem um país soberano com base em uma campanha de mentiras. 

Seu domínio sobre a humanidade enfraquecerá e o ser humano estará mais próximo da liberdade.

Mas, antes que isso aconteça, os povos do mundo se levantarão contra vocês e os tirarão do poder, com toda a sua riqueza. Nossa cruzada contra seu reinado de terror será feita em 3 etapas.

A primeira terá início após o lançamento deste vídeo e terá como objetivo removê-los sistematicamente da internet.

A segunda será revelada mais tarde e já foi iniciada.

Em relação à etapa 3, bem, pensem nela como um presente dos Anonymous a vocês. 

Nós não vamos parar até seu Estado policial tornar-se um Estado livre.

Nós somos anônimos.

Nós somos legião.

Nós não perdoamos.

Nós não esquecemos.

Governo de Israel, espere por nós.”