Computador japonês processará um quintilhão de operações por segundo

Venda do Oculus Rift põe modelo de financiamento colaborativo em xeque
29 de março de 2014
Para União Europeia, provedores devem bloquear sites piratas
29 de março de 2014

Computador japonês processará um quintilhão de operações por segundo

O Instituto Riken, mantido pelo governo do Japão, anunciou que desenvolverá um supercomputador melhor que o mais potente do país, chamado K e lançado em 2011 (o da foto acima).

O novo modelo deve começar a operar em 2020 e a intenção é que ele seja 100 vezes mais potente que o K, que já foi o mais rápido do mundo (hoje é o quarto). Ou seja, ele será capaz de processar um quintilhão de operações por segundo.

O projeto custará cerca de € 1 bilhão (algo em torno de R$ 3,1 bilhões) e será tocado principalmente pelo Riken, que abrirá uma licitação pública para achar parceiros – o K, por exemplo, foi construído com ajuda da Fujitsu.

Segundo a agência EFE, quando estiver pronto, o novo computador será usado em diversos projetos, incluindo automação e prevenção de desastres. Assim como o antecessor, ele ficará numa ilha artificial do porto de Kobe, cidade a oeste do país.