Hidrogênio como alternativa de combustível no Brasil

WikiLeaks publica plano secreto de regulamentação da internet
14 de novembro de 2013
Brasil: país da Copa e projetos votados à surdina
15 de novembro de 2013

Hidrogênio como alternativa de combustível no Brasil

A bem da verdade, observamos hoje no Brasil uma crescente propaganda do Governo no que diz respeito ao Pré-Sal. Estima-se que a camada do Pré-Sal contenha o equivalente a cerca de 1,6 trilhão de metros cúbicos de gás e óleo. O que faz o Governo Dilma se gabar de um Brasil rumo à autossuficiência em energia. O petróleo, dessa forma, é apresentado aos brasileiros como principal fonte de energia hoje e no futuro. Mas, na verdade já sabemos que não é bem assim. Além do petróleo temos outras fontes de energia como biocombustíveis, hidrelétricas, eólica, solar, nuclear e o combustível do futuro: O Hidrogênio.

Enquanto os EUA e países da Europa investem pesado em pesquisas e aprimoramento em larga escala para produção de Hidrogênio o Brasil passa batido no assunto. Os combustíveis fósseis ainda são empregados como principal fonte de energia no país em diversos processos, entretanto poluem mais e não são renováveis. Nesse contexto diversas fontes são investigadas e empregadas como alternativa, a exemplo do biodiesel que polui menos e é renovável. Na geração do biodiesel há a formação elevada de glicerina que conduz à necessidade de encontrar formas de aproveitamento do resíduo. A produção do Hidrogênio é uma importante alternativa de aproveitamento da glicerina, sendo este gás considerado um combustível promissor, de baixo impacto ambiental, um dos principais produtos do processo de reforma a vapor (um dos métodos de obtenção). O mesmo processo também pode ser utilizado para etanol que é uma fonte renovável (provém da cana de açúcar) e também produz Hidrogênio.

O Hidrogênio tem mais alta energia por unidade de peso comparando-o com qualquer combustível, uma vez que é um elemento leve. É por esta razão que tem sido intensamente usado nos programas espaciais onde seu peso é crucial. Especificamente a quantidade de energia liberada durante a reação de hidrogênio é cerca de 2,5 vezes do poder de combustão de um hidrocarboneto (gasolina, metano, propano, etc.).

Embora o Hidrogênio seja o combustível ideal, existe pouca infraestrutura e este tem que ser produzido à fonte de energia primária, o que mostra que o Governo não vem investindo no processo. Pode ser armazenado na forma gasosa, sendo comprimido ou na forma líquida em baixa temperatura o que ainda constitui um desafio para o emprego da geração de energia. A Petrobrás é uma das empresas brasileiras que desenvolve pesquisas para a produção do Hidrogênio combustível.