Tor sofre represália no Japão

A história dos transportes públicos no Brasil é a história de luta dos empresários para conseguirem privilégios do Estado
23 de abril de 2013
Hackers invadem Twitter da agência de notícias Associated Press
23 de abril de 2013

Tor sofre represália no Japão

No Japão a polícia não quer mais aceitar o anonimato na internet que o navegador Tor proporciona. Como uma medida de combate ao cibercrime, o país tenta fazer com que os provedores de internet banam o “uso abusivo” do recurso.

Segundo a Wired, apesar de o governo falar apenas em punir o abuso, não há exatamente como saber o que uma pessoa faz na internet enquanto ela navega pelo Tor. A ferramenta oferece anonimato completo, o que dá a entender que qualquer tipo de utilização será punida.

Segundo a Agência Nacional de Polícia, o Tor facilita as fraudes financeiras, abuso infantil e o vazamento de informações confidenciais. Ele é uma das ferramentas indispensáveis para quem tenta navegar na Deep Web. Entretanto, ainda não está confirmado que os provedores irão acatar à solicitação.

A medida da NPA do país pode ser uma resposta direta aos problemas causados por um hacker, ainda no início do ano, que começou a espalhar ameaças de morte pela internet. Três pessoas foram capturadas após terem o IP identificado de forma enganosa devido às propriedades do Tor, e confessaram o crime sob pressão, enquanto as mensagens continuavam se proliferando. O verdadeiro hacker só foi identificado por meio de uma câmera de segurança. Ao confiscarem seu computador, descobriram que ele era usuário assíduo do Tor.

Esta situação manchou bastante a imagem da polícia japonesa com o público, pela incapacidade de lidar com o cibercrime e também por pressionar confissões de inocentes. Isso pode ter causado o enrijecimento da lei quanto ao anonimato da web.

Apesar dos problemas causados pelo Tor, a ferramenta ainda é considerada importantíssima na luta contra a censura na internet, e é defendido por órgãos sérios como a Electronic Frontier Foundation. O navegador é utilizado para navegação livre em países onde há um controle rígido de informação, como na China e para denúncias anônimas.