Videogame estão entre os produtos mais taxados no Brasil

Microsoft, Facebook e Apple são processadas por ajudar EUA
27 de junho de 2013
Cofundador do Pirate Bay vem ao Brasil
28 de junho de 2013

Videogame estão entre os produtos mais taxados no Brasil

Videogame tem mais impostos que arma de fogo no Brasil

Poucos produtos e serviços são tão impactados pela carga tributária brasileira quanto os consoles e os jogos eletrônicos. Até quem fabrica armas de fogo paga menos impostos do que quem produz PlayStation, Xbox, Wii etc.

microsoft-xbox-one

72,18% do valor dos consoles no Brasil correspondem a taxas, enquanto um revólver tem a soma de 71,58%. Somente caipirinha (76,66%), cigarro (80,42%), Vodca (81,52%), casaco de pele (81,86%) e cachaça (81,87%) têm cargas mais pesadas que os videogames, segundo relatório do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário.

Estão entre os impostos ICMS (Imposto sobre Mercadorias e Serviços), Pis (Programa de Integração Social) e Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social). Em caso de produtos importados, também entra o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados).

Esse é o principal motivo pelo qual o Xbox One vendido por aqui é o mais caro do mundo. Mas o iPad mini, que também chegou ao país com esse título negativo, paga apenas 39,12% em impostos, então que outra questão pode encarecer produtos eletrônicos no Brasil? As margens de lucro.

As redes varejistas são quem mais lucram ao vender aparatos tecnológicos – até porque lidam com mais riscos como assaltos, por exemplo -, mas os fabricantes e distribuidores também tiram suas fatias.

De acordo com o diretor de planejamento da IT Data, Ivair Rodrigues, operadoras de telefonia não aceitam vender se lucrarem menos que 25%, enquanto nos Estados Unidos essa margem é de aproximadamente 15%.

“Aqui, dependendo do produto, a margem é superior a 100%”, disse ele, ressaltando que dificilmente esse exagero chega aos eletrônicos.