Documentos vazados pelo Wikileaks revelam que EUA treinam oposicionistas pelo mundo

A expectativa é que “mensalão tucano” seja julgago pelo plenário do Supremo Tribunal Federal neste ano
28 de fevereiro de 2014
Joaquim Barbosa
Barbosa recebe Medalha de Aécio Neves
1 de março de 2014

Documentos vazados pelo Wikileaks revelam que EUA treinam oposicionistas pelo mundo

Revolução à americana: Documentos vazados pelo WikiLeaks mostram como age uma organização que treina oposicionistas pelo mundo afora – do Egito à Venezuela

O documento, ao qual a Pública teve acesso, foi escrito no início de 2010 pelo “departamento analítico” da organização e relata, além dos pilares de suporte de Chávez, listando as principais instituições e organizações que servem de respaldo ao governo (entre elas, os militares, polícia, judiciário, setores nacionalizados da economia, professores e o conselho eleitoral), os principais líderes com potencial para formarem uma coalizão eficiente e seus “aliados potenciais” (entre eles, estudantes, a imprensa independente e internacional, sindicatos, a federação venezuelana de professores, o Rotary Club e a igreja católica).

A indicação do Canvas parece, no final, bem acertada. Entre os principais líderes da oposição que teriam capacidade de unificá-la estão Henrique Capriles Radonski, governador do Estado de Miranda e candidato de oposição nas eleições presidenciais de outubro pela coalizão Mesa de Unidade Democrática, além do prefeito do distrito metropolitano de Caracas, Antonio Ledezma, e do ex-prefeito do município de Chacao, Leopoldo Lopez Mendoza. Dois líderes estudantis, Alexandra Belandria, do grupo Cambio, e Yon Goicochea, do Movimiento Estudiantil Venezolano, também são listados.

O objetivo da estratégia, relata o documento, é “fornecer a base para um planejamento mais detalhado potencialmente realizado por atores interessados e pelo Canvas”. Esse plano “mais detalhado” seria desenvolvido posteriormente com “partes interessadas”.

Em outro email Popovic explica:“Quando alguém pede a nossa ajuda, como é o caso da Venezuela, nós normalmente perguntamos ‘como você faria?’ (…) Neste caso nós temos três campanhas: unificação da oposição, campanha para a eleição de setembro (…). Em circunstâncias NORMAIS, os ativistas vêm até nós e trabalham exatamente neste tipo de formato em um workshop. Nós apenas os guiamos, e por isso o plano acaba sendo tão eficiente, pois são os ativistas que os criam, é totalmente deles, ou seja, é autêntico. Nós apenas fornecemos as ferramentas”.

Os documentos citados estavam originalmente hospedados em:

http://wikileaks.org/gifiles/docs/1116441_insight-venezuela-canvas-ramping-up-.html

http://wikileaks.org/gifiles/docs/5514676_canvas-introduction-.html

http://wikileaks.org/gifiles/docs/1760536_canvas-stuff-.html

http://wikileaks.org/gifiles/docs/1103141_insight-egypt-info-on-april-6-gov-t-tone-on-good-students.html

http://wikileaks.org/gifiles/docs/1760536_canvas-stuff-.html

http://wikileaks.org/gifiles/docs/96051_re-arrived-.html

http://wikileaks.org/gifiles/docs/1129067_insight-iran-us-more-on-pro-democracy-group-funding-.html

http://wikileaks.org/gifiles/docs/1141030_insight-iran-us-pro-democracy-groups-less-funding-.html

http://wikileaks.org/gifiles/docs/96051_re-arrived-.html

http://wikileaks.org/gifiles/docs/1784664_josh-informacije-o-kini-.html

http://wikileaks.org/gifiles/docs/1526669_insight-question-from-our-canvas-source-.html